Dicas para um plano eficaz de retenção de talentos

Para um plano eficaz de retenção, deve-se focar em um grupo seleto de profissionais.

Tomando como base dados de benchmarking, o grupo de talentos em plano de retenção não deve passar de 20% dos colaboradores de uma empresa.

Muitas vezes é menos que isso. A seguir, você encontra algumas abordagens que funcionaram nos cases em que atuamos com planos de retenção:

Planos de desenvolvimento personalizados.

Incluindo Coaching, Mentoring ou ainda desafios de trabalho que permitam maior exposição do profissional na estrutura organizacional local e internacional. Essas
ações, quando viabilizadas pela empresa, tendem a ser bem recebidas pelo profissional mapeado como talento por seu desempenho ou potencial. É especialmente útil no caso de talentos mapeados em planos de sucessão da empresa, pois com esses recursos de desenvolvimento, o profissional pode adquirir ou fortalecer habilidades que serão necessárias em futuras posições.

Aumentos de mérito ou promoção

Deve-se usar esta abordagem para os casos de indivíduos de alto desempenho. Mapear indivíduos de alto desempenho sem ter como recompensá-los pode ser arriscado. Profissionais de desempenho superior desejam destaque e reconhecimento.

Investimento em educação.

Profissionais de alto desempenho e alto potencial tendem a ser ambiciosos e valorizar ações de desenvolvimento que a empresa possa subsidiar. Os programas de subsídios educacional e idiomas podem ser destinados prioritariamente para esses indivíduos e, assim, se tornar ferramentas de retenção de talentos.

Bônus de retenção.

Deve ser aplicado antecipadamente para talentos com risco iminente de saída da empresa e conter uma condição de devolução do valor se a pessoa pedir demissão em um período de tempo determinado (exemplo: 1 ou 2 anos), após sua aplicação. Pode ser usado, por exemplo, em caso de aquisições, em que a empresa que assume a gestão precisa manter o pessoal existente para garantir a transferência de conhecimento.

Programas de Reconhecimento.

Não são programas necessariamente atrelados a recompensas financeiras. O que se deve priorizar são as recompensas emocionais por fazer parte de um grupo seleto de profissionais valorizados pela empresa. As premiações em programas de reconhecimento podem ser diversas, passando por viagens, experiências exclusivas ou eventos que valorizam determinados profissionais.

Essas são apenas algumas ideias, existem inúmeras outras.

O Programa de Retenção de Talentos deve ser desenhado de acordo com a realidade e necessidade de cada empresa.

Meiling Canizares,
Consultora em Desenvolvimento Humano e Organizacional, Coach certificada pela ICF e sócia-diretora da M’Canizares